quinta-feira, 7 de agosto de 2008



Nasci uma coisa fofa loira. Tão loira que meu cabelo ficava verde por causa do cloro. Eu vivia na piscina. Só um muro dividia minha casa da academia. Meu pai dava cursos de natação para bebê e me jogou na piscina com três meses. E desde então, muitas águas rolaram.
Encarei minha primeira onda com muita areia na cara e um choro para fazer dengo para os meus pais amados. Mas assim passei a não ter medo do mar e encará-lo com fé. Galopei de sapatilhas e tchu-tchu cor-de-rosa.
Segui em frente...
Depois veio a grade do aparelho, o rosto inchado, oleoso, redondo...
Sofrimentos de menina boba que eu era.
Primeiro amor.
Mais sofrimentos.

Hoje, vejo nas fotos do passado um sorriso branco brilhoso, de um branco que não conhecia cinza, um sorriso que queria comer o mundo. Hoje, meu queixo está mais para baixo e minha alma mais para dentro. E eu, mais ajustada em mim.
É a tal maturidade...
E como é perturbador encontrar a calma e a leveza da espera. É ruim ser paciente. Essa ansiedade tira o meu sono.
Mais sofrimentos.

2 comentários:

Thaís disse...

AMIGA,
TE AMO PRA SEMPRE!!!
LEMBRE QUE O NOME DA MINHA FILHA SERÁ BETINA!!!

BJS

Thais Alves

adriana monteiro de barros disse...

\amei o pema, e agora ve se dixa um post no meu blog, tá?