sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

no limite

O limite da beira,
Linha fina, camada tênue.
Traço divisor, linha do equador.
Dois lados separam a loucura da realidade.
Passo ao abismo e a capacidade de flutuar.
Caso vá de vez para o lado de lá... já era.
Existe um limite capaz de manter a sanidade.

4 comentários:

AnaCamila disse...

uau...que texto significativo...
mas será q existe mesmo esse limite?
adoro teu blog
Beijos =**

Betina Kopp disse...

acho que sim, AnaCamila!!! nao gosto do limite... mas no caso de enlouquecer existe sim. nós artistas estamos muito suscetíveis a loucura. a loucura sã, criativa é muito bem-vinda. se deixar vc escorrega pro lado de lá... e ai, pira! a Clarice Lispector fala disso.. ela percebia que a camada era muito fina e que poderia escorregar para o lado de lá em questão de segundos..

Rosaly Fonseca disse...

Amei!
Pensando bem, podemos dizer que é um limite sem limites. O que não podemos é nos desprendermos do fio da razão. É ele que nos equilibra.
Se tiver interesse, visite meu blog.
Um abração!

Anónimo disse...

adoreiiii seu trabalho é maravilhoso esta realmente de parabens!!! bjooooooooos