terça-feira, 12 de julho de 2011

Distância do papel

Os instantes da ação
afastam-me abruptamente
do papel.

Os desejos e os impulsos
estão desenhados no ar.

Os poemas surgidos
no estágio pré-sono
não levantam minha mão,
embalam o meu sonho.

As palavras diluidas
em ações
são sopros que escorrem
no vento.

Os rascunhos
são traços do presente
no céu de diamantes.

Palavras vivem.
Poesia voa.

1 comentário:

Rosangela disse...

Bela poesia e belo espaço. Vou indicar lá no blog!
Também sou de Niterói!
Bj.