quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

bichinho

Sou desonesta.
Camuflo meu coração.
Prefiro a posição confortável,
fico presa na proteção.
Seus olhos de amor
ainda me envolvem,
mas meu corpo está cansado
e minha barriga cheia de sentimentos presos.
Enfezada, mal-humorada.



Vou sofrer de transtorno obesessivo compulsivo
Sou uma íma e não consigo afastar-me do seu metal.
Sempre quero querer mais.
Sou o medo que nos afasta
e o mistério que nos atrai.



DOENÇA DE AMOR
Ahh... essa é boa.
Mamãe já dizia:
"o amor é um bichinho que rói, rói, rói... até fazer dodói."
Não pego esse vírus.
Obsessão, dor. Não.
Meu bichinho do amor é
rosa, vermelho
faz carinho
e sorri.
O amor cura, vacina.

3 comentários:

Carla Aguiar disse...

O amor cura e transforma... =)
Beijos, queridona poética!

Tati! disse...

o amor é um bichinho faminto que mesmo estando alimentado nunca está saciado ...

Betina, tu és muito querida e suas performances são únicas; cheias de interação criativa , identificação e muito vitalizantes!

Um grande beijo para ti!
=)
Tati

Danielle disse...

MEU BICHINHO...
RÓI..RÓI...
MAS NÃO ME FAZ DODÓI
ELE SE ACONCHEGA
E SE AJEITA
NO MEU LADINHO
PEDINDO CARINHO
AFAGOS
E PROTEÇÃO
COLO
E TESÃO
NUMA VIDA
DE LOUCOS
PORQUE NA VERDADE
SOMOS BICHINHOS
UM DO OUTRO...

BEIJOS QUERIDA !
:)

DANNY