domingo, 27 de abril de 2008

O baile

Prepare-se o baile vai começar.
Não esqueça o perfume!
É decisivo para a escolha de um par
Afinal, você não pode ficar só
precisa de um pretendente
alguma paixão que alimente
o seu desejo interior de se demonstrar

Impina a bunda
joga o cabelo
Veste a roupa de melancia
e vai em busca da paixão nacional

O baile começa
e você solta seus primeiros passos
Inicia o jogo de cena
E vamos ver no que é que dá
E rola pra lá, rola pra cá
Rodopios, pernas pro ar
Pego daqui
E me pega de lá

E vai parar no esconderijo
debaixo da mesa
no local predileto de suas brincadeiras de esconde-esconde.
A mesa redonda que sempre fazia com sua família
já não refletia aquela luz cor-de-rosa.
E em cacos de reflexos espalhados
misturados em presente, passado e futuro
aparecia aquela criatura
fragilizada
dependente de sua forma exterior
refém de um sistema
algemada nos valores fúteis
e condenada a pouco saber do mais profundo e sutil da vida.

Esperamos que de baile em baile
você encontre o seu leão e saia de seu camelo
É preciso coragem, muita!

Vejo a máscara de um espírito da floresta
E do outro lado um elefante com olhos desesperados
preso, longe de seu habitat natural.


Mais um outono passará...

O baile vai continuar...

E nós?

1 comentário:

Naty disse...

''Se existe tanta vontade de pega-pega,
Por que o pique-esconde?''
(Diogo Monteiro)

rsrs