quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Eu queria

Eu queria ser capaz de escrever um lindo poema.
Eu criei um blog para criar em mim a sensação da obrigação de escrever.
Não funcionou. Eu não escrevo tudo que quero. Na verdade não quero, porque se quisesse mesmo, tenho certeza que teria feito.
Não é coragem que falta. É outra coisa.
Será a tal palavra? Essa musa sonhada do poeta que impede um sujeito qualquer de arriscar enfrentar a caneta e o papel? O pavor de segurar a espada e desenhar no escudo as emoções. Seria uma entrega muito grande? Seria doloroso enfrentar seu reflexo? Claro que seria. E é.
Mas também não é a dor que impede a saída das palavras. As vezes, a dor ajuda, te deixa mais sensível.
Mas não é. Não é dor, nem felicidade.
É a minha cabeça que não decodifica os pulsos dos meus músculos.
Eu movimento a palavra no ar. Não sei transportar para o papel.
Eu cheiro palavra, vejo palavra, beijo palavra, como palavra, gozo palavra, danço palavra. Mas não escrevo.

7 comentários:

Anónimo disse...

...e vc escreveu um lindo texto Betina!
...é assim....eu mesma não tenho transbordado tanto no papel como acho que deveria e poderia.
te vejo na Flap ou no meu blog?
bjs na alma

adriana monteiro de barros disse...

anônimo coisa nenhuma, fui eu quem te escrevi BB, euzinha, adriana
bjs

Beatriz Provasi disse...

claro que escreve! no seu tempo, no seu ritmo, no seu movimento, vc desenha os contornos da palavra no papel, e explode eles no ar!... beijos!

Carla Aguiar disse...

Eu nunca consegui traduzir o que penso ou sinto em palavra.
Mas você faz isso. Mesmo sem se dar conta, ou não com a intensidade que gostaria.
Beijo, querida.

Késia Maximiano disse...

É uma pena que ainda não se deu conta do tanto que pôde expressar em tão poucas frases.
Vi teu reflexo e entendi o ritmo das tuas palavras.

Bjos

Tati disse...

As vezes as muitas ferramentas de que dispomos não são o suficiente para comunicarmos com o mundo exterior. è preciso entrar em contato, com palavras, gestos, música, poesia .. e o silêncio também fala por nós. as vezes escrever desanima mesmo, e aí é hora de dar um tempo.
Eu mesma fiz um blog, mas com o tempo abandonei-o.Acho que me acostumei mais a comentar nos blogs alheios que a postar em meu próprio.rs
Mas acho que escreves muito bem! Eu não sei bem lidar ocm os meus sentimentos, muito menos falar sobre eles..mas absorvo bem as suas palavras quando expoe os teus. é uma troca, muito rica essa. Mas há a VIDA que é pra ser intensamente vivida! em toda sua plenitude e em todas as suas formas.
:)

beijo grande, Betina.
pena ter saído do orkut =/

Betina Kopp disse...

TATI,
eu fui excluída do orkut. mas já estou de volta. me procura lá..