segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Vovô, meu amigão



AUSÊNCIA

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamções alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade.

Vovô, te amo para sempre!!!
Obrigada por tudo!
Você me fez ser melhor...

3 comentários:

Kalie Duranki-Amon disse...

=)

Coisa valiosa é alguém que amamos, nos ama e nos ensina a ser melhor..

não existe ausência onde há amor.

beijos, moça!

adriana monteiro de barros disse...

...BB, ausência depois torna-se fartura...é o que temos, o que legamos e isto é muito!
Haverá sempre uma história bonita para se contar!
beijos querida e fique em paz!

Tenório disse...

Vovô Sérgio criou asas e voou.
Virou anjo vovô Sérgio.
Daqueles que brincam no jardim de JESUS!
te amo amiga.