quinta-feira, 21 de maio de 2009

dentro e fora

Estou cada vez mais para dentro
revendo minha alma e minha consciência.
Meus passos e direções.
Caminhos sem volta.

Sonho com minhas inquietações,
angustiada com as minhas cobranças.

Não quero conversar muito.
Não quero sair muito.
Não quero mais ir para lugares que na verdade não me dizem muita coisa
e geram em mim uma ansiedade poética tremenda.
Nesses lugares sinto-me constantemente cobrada
e meu desejo de fazer o melhor escapole de minhas mãos
gerando minha eterna fase oral de querer tudo com a boca.
Cigarros, bebidas e comidas...
E bota a boca em movimento, não consegue ficar parada e sentir de verdade o momento.

Minha vitrine está cansada de aparecer.

1 comentário:

luliX pandaglia disse...

Vc é uma inspirada.
Sinto algo parecido.
Bjs,