sábado, 5 de setembro de 2009

Dor

Cansada, machucada e caindo...
Procuro a cama. O sofá.
Algo que suporte o meu peso. Pesado.
Tem uma energia meio cinza, pintado.
Cores na cinza.
Olhos vermelhos, inchados.
...
...
Faço pose pra você. Quero inverter o poema.
Mudar o rumo.
Agora faço cenas pra você.
Penetramos na energia sexual e primitiva.
Corpos em erupção.
O vulcão não controla suas larvas vermelhas e amarelas...
Escapolem todos os dias...
ou... de tempos em tempos.
(pausa no pensamento)
Dor!

1 comentário:

Penachi disse...

Troque as dores por cores...
Com licença poética ética, apaixonei-me pela tua palavra...