sábado, 26 de setembro de 2009

A hora da estrela

Não pretendo romantizar e torná-la 'pura'.
Ela é simples, matéria bruta, sem o engenho do pensamento.
Vive de acordo com o que sente
e muitas vezes sem sentido para os que pensam.
Enxerga o pequeno na delicadeza do seu alcance,
só chega lá quem não elabora.
Ela entende o mundo pelo puslsar do seu coração.
Sente medo das palavras,
por isso prefere não dar 'nome aos bois'.
Não precisa ser pura.
Simplesmente é.
Primitiva nas ações.
(EXPLOSÃO)
Nem Clarice alcança.
Macabéa, ilumina a escuridão!

1 comentário:

Kalye Duranki disse...

Grande Betina, sempre adoro ler seus textos!!

;-)


beijos!!