sábado, 4 de abril de 2009

Livros

Livros passam de mão em mão.
São doações.
Montagens de Bibliotecas.
Livros estão no centro das atenções
e pregam para que eles virem praga, uma peste.
Colocam livros em comunidades, orfanatos, delegacias...
E hoje livros são entregues ao Fórum.
Livros para ocupar o tempo ocioso dos presos que aguardam julgamento.
Livros para alimentar a mente e a alma.
Livros para instruir.
Eu estou contaminada por essa peste livro
e quero ocupar todos os espaços vazios com eles.
Faço parte desse Movimento de espalhar
esse nosso vírus-sentimento.
E cuidado!
Você poderá ver livros em todos os cantos,
até na sala de espera de seus médicos.
E quem sabe até o cabelereiro vire um ninho infestado de livros.
Livros contaminando pessoas, sem distinções.
Todos iguais quando tornam-se portadores do vírus-livro.
Eu estou vendo... Isso está acontecendo.
Eu vi presos dentro de uma carceragem falando poesia.
Eu vi livros passando.
Eu estou vendo livros!
E agora paro de ver para ler.
Livros, principalmente, para serem lidos.


Para João Luís de Souza.
Movimento Corujão da Poesia.

2 comentários:

Tito disse...

BB, o proximo poema a ser postado tem que ser aquele que vc fez pra mim!!! te amo muito

duduperere disse...

e talvez o mundo já esteja exposto em prateleiras de livrarias. leremos aleatoriamente o mundo como um livro de poesias. beijo
dudupererê
www.verbologue.zip.net