sexta-feira, 17 de abril de 2009

vontade que dá e não passa

Perdi muito tempo
esperando a caneta e o papel.
Agora que tenho a faca e o queijo na mão,
não sei como cortar pedaços certeiros.
Tudo que pensei escrever durante o caminho...
passou! Como tudo passa...
Tudo sempre passará.
(A vida vem em ondas)
O mar de ressaca sacode a cabeça de qualquer um.
Você é minha ressaca no estado bruto.
Porque no dia seguinte
Agradeço por não ter seguido adiante.
Mas no momento exato da bebedeira, chamei por ti.
Quer saber a verdade?
Eu sempre te chamo.
Meu corpo pede você.
Um dia irei permitir o convite.
Deixarei fluir as asas da imaginação...
E sonho estar com você.
Minhas entranhas querem
conhecer o seu recheio.
E nesse momento, assumo, quero você.
ESSE querer contraditório
que já gerou tantos conflitos...
ESSE desejo interrompido.
(Percebo agora o meu prazer pela palavra ESSE.)
ESSE negócio.
ESSE pulso de vida.
ESSE isso, que não sei explicar.
Apenas sinto, como sempre...
E continuo no caminho da verdade existencial.
Um dia... Um dia...
Ainda vou te encontrar...
Beijar!

2 comentários:

jupyhollanda disse...

esse poema é bonito. bem bonito e forte, ambíguo. Vale investir numa "performance" - Betinameninapoetartista.

B-Ju

juceia rodrigues rocha disse...

LINDO, LINDO DEMAIS!!!!!!!!!!!!!BEIJOS!!!!!!!TIA JUCEIA